Advogados do Brasil e de Portugal! Todos os advogados de defesa on-line.


Registro de capital estrangeiro no Brasil - O Brasil de Negócios


O capital estrangeiro destinado a investimentos diretos no Brasil deve ser registrado declarou ao entrar no paísDe acordo com o a Lei,"o capital Estrangeiro é considerado ser qualquer bens, máquinas e equipamentos entrados no Brasil sem dispêndio inicial de divisas, destinados à produção de bens e serviços, bem como quaisquer fundos trazidos para o país para aplicação em atividades econômicas no país, que pertencentes a pessoas físicas ou jurídicas residentes ou com sede no exterior". O registro do capital estrangeiro está a ser feito através do módulo RDE-IED, que é parte do Sistema de Informações Banco Central. Este registo permite que os investidores estrangeiros para o envio de remessas de lucros, dividendos e o capital inicialmente investido no estrangeiro através do mesmo mercado de câmbio usada para trazer a capital para o Brasil. Se as partes não registrar o investimento, os investimentos serão tratados como investimentos domésticos. Além disso, o investidor estrangeiro e o destinatário da capital do Brasil, pode ser sujeito a pesadas multas por não ter registrado o investimento junto ao Bacen dentro do período prescrito. O estrangeiro os investimentos devem ser feitos de acordo com as leis do país que está a receber investimentos. Esse registro é essencial para a ventos de remessas de dinheiro, repatriamento de capital e o registro de reinvestimento de lucros. No caso de investimentos diretos, o responsável pelo registo de capital é a empresa ou o representante de uma empresa estrangeira no Brasil, que está recebendo o capital. O registro do capital estrangeiro é feita através do módulo RDE RDE é um sistema informatizado estruturado em cinco módulos, cada um desenvolvido para um tipo específico de investimentos estrangeiros, a fim de se registrar no sistema RDE-IED, é necessário, primeiro, um antigo registro no CADEMP. A inscrição neste sistema irá gerar um código que será necessário ao acessar o sistema RDE epílogos CADEMP é o Banco Central o registro de pessoas físicas ou jurídicas, residentes e não residentes no Brasil.

Para o registro de capital estrangeiro no RDE, é necessário que os titulares envolvidos, pessoas físicas ou jurídicas, residentes e não residentes no país, bem como os seus representantes, são registrados no CADEMP.

Primeiro, a empresa que está a receber investimentos estrangeiros tem que acreditar no SISBACEN sistema como um usuário especial (especial para o usuário) que pode ser feito de várias maneiras: uma Vez que o destinatário está registrado no Sisbacen, e tem o seu CPF ou CNPJ registrada também no CADEMP ele pode acessar o Sisbacen sistema para obter um número de VERMELHO-IED para seus investidores estrangeiros, utilizando a transação PRDE.) O investidor estrangeiro vai enviar uma ordem de pagamento em nome do destinatário, a partir de um banco no seu país, a um banco Brasileiro.) O destinatário de empresa ou representante de uma empresa estrangeira no Brasil vai contratar uma operação de troca de moeda de um Banco Brasileiro autorizado pelo Banco Central a operar com câmbio. Aqui, o destinatário deve informar o VERMELHO-IED número de investidores Os dois mercados oficiais de câmbio no Brasil, ambos os quais estão sujeitos ao Banco Central do Brasil regulamento, são: I - comercial, financeira, taxa de mercado, basicamente reservado para o comércio relacionados com operações e investimentos em moeda estrangeira no Brasil II - a taxa de turismo de mercado, destinado a certas outras operações, tais como transações de entrada e saída.) Após a troca de moeda, o destinatário da capital registrar a capitalização dos recursos (assinatura e o pagamento total) prazo de Inscrição: Depois de receber o capital, a empresa tem até trinta dias para registrá-lo no RDE.